sexta-feira, 2 de maio de 2008

A Mac Life

Toda mudança dá trabalho, mudar de micro não é fácil. Pra não deixar barato, resolvi testar um Mac desta vez, um iMac.

Três dias depois da troca ainda estou me recuperando. Os atalhos de teclado me atrapalham, mas alguns já começam a ajudar nas tarefas do dia a dia. Antes um pouco de história:

Para me vingar do meu Windows, instalei o Ubuntu 8.04 com o Wubi... que instala o Ubuntu na partição NTFS. O mais engraçado foi ler Ubuntu abaixo de Microsoft Windows no próprio utilitário de boot da Microsoft, impagável. Mas o bicho não gosta do meu PC, ou meu PC não gosta de sistema operacional algum. A impressora parou de funcionar no Windows, depois que eu instalei a câmera de vídeo... não consigo reinstalar nem com reza. O scanner foi junto, maldito driver integrado. Infelizmente tenho vários programas registrados no Windows, melhor deixar como está e instalar a impressora em outro micro. O jeito é acreditar no Wubi e seguir com a instalação.

Em vingança, o Ubuntu e desde o antigo Gentoo da minha máquina resolveram combinar de não funcionar com a minha placa de vídeo. Até funciona, mas trava. Engraçado que o XP na mesma máquina não imprime mais, mas não me lembro da última vez que ele travou. Descobri que ter um AMD 64x2 com placa de vídeo da ATI é querer ter problemas com o Linux e com o X. O Ubuntu até que tenta, instala tudo. Reconheceu até a impressora que não funcionava no Windows... até o scanner funcionou depois do driver!!! Mas o micro continua travando. Milhares de forum posts depois meu Linux continua instável... (noapic, nolapic, irqpool e acpi=force já foram tentados em diversas combinações). Duro é explicar pra minha filha que o Linux trava e o XP não...

De volta ao Mac, continuo brigando com o cmd e a tecla control. Esse negócio de janela highlander, que não morre ao fechar está me deixando nervoso. Home e End também deixam saudades... cmd + <- e cmd + -> !!!! claro que continuo apertando as teclas no mesmo lugar que só atrapalham... logo depois de tentar ctrl + <- e ctrl + ->.

Mas nem tudo é ruim... ligo pro meu Guru Mac de plantão, no caso meu melhor amigo que mora em outro fuso horário... só 6 horas de diferença :-) Tempo suficiente para ser derrubado pelo Mac... raios, não consigo criar zips... Skype attack e voilà! Descubro que um menu do Finder faz o serviço... mas ativa-se este menu com o botão direito do mouse. Precisa dizer que o mouse não tem botão e que a bolinha também roda pros lados? Ok, batalha com o mouse... parece que nunca usei micro na vida :-)

Recebi uma lista de softwares do meu amigo-Mac-Guru para SCP, torrent (legais, claro) e melhorias do sistema. Agora tenho painéis que dizem tudo sobre a máquina... parece até o painel de controle de uma nave espacial. Para testar o torrent, baixei o "Cult of Mac" e acreditem, o seed foi feito pela própria editora No Starch Press (link). Pior que o link vai pro Pirate Bay... maldito Safari, trouxe o Pirate Bay em holandês... Zoek Torrents? Download deze torrent !!! Agora estou me sentindo realmente um velho, tendo problemas com o micro novo e vendo uma editora distribuir um livro via torrent e no Pirate Bay! Tomara que dê certo, pois no fim acabo comprando a versão impressa mesmo, ler no micro ainda é muito difícil pra mim. Abro o PDF e detesto o livro, salvei alguns euros com esse download.

E a saga continua... o tutorial da Apple manda eu copiar minhas músicas da biblioteca iTunes do Windows para meu Mac, claro usando um iPod. O problema é que eu não tenho iPod! Google neles e acho um tutorial exportando a biblioteca e editando o xml desta... ah deve ser a parte Unix da experiência :-)

10 x 0 pro iMac... e eu começo a procurar o til no teclado... descubro que não tem. Para aumentar a dificuldade comprei um teclado belga, pois estou acostumado agora com esse troço AZERTY. O til é alt + n ... depois você digita espaço pro til ou "a" ou "o" para ã ou õ. Até aí tudo bem. Mas descubro logo que não tenho acesso aos agudos do português... é e ç são fáceis, mas á é o desafio supremo, não tem mesmo... lembro dos primeiros dias de Windows... copiando caracteres do mapa de caracteres... Achei um editor de teclado e fiz um mapa belgo-brasileiro... agora sim. O Safari não gostou do novo teclado, mas agora está funcionando muito bem.

Depois de 3 dias de cruzada... acho que foi o melhor dinheiro que já gastei com computador. Muito bom mesmo. O choque da mudança é inevitável, mas compensa. Tio Jobs trabalha muito bem e faz máquinas melhores ainda.







 

Um comentário:

Roberto Melo Cavalcante disse...

Man,

Quem é da época em que o SID era um dos melhores computadores que se tinha disponível no início da década de 90 entende bem esse dilema de parecer velho diante de todas as facilidades do dia-a-dia.
Veja o caso de um tio meu que diz que o computador não está adequandamente preparado para ajudá-lo nas tarefas diárias. Ele se refere à disponibilidade da informação e da aparente limitação de acesso a conteúdo que a maioria dos usuários leigos experimenta quando resolve usar o computador para alguma coisa útil na vida delas. Ele se queixa de que o computador mostra/disponibiliza aquilo que é útil para as pessoas que desenvolveram a interface do S.O., mas pra ele não. Ele entretanto não se queixa dos usos corriqueiros que tem de fazer da tecnologia de informação de maneira geral, como usar o Visa Electron ou mesmo pagar suas contas num caixa eletrônico. Isso me faz pensar que talvez não seja o computador como o conhecemos que será realmente popular ao longo to tempo, mas sim suas versões embarcadas, aplicadas realmente como auxiliares na vida das pessoas na vida cotidiana.
Pensando assim, acho que talvez nem seja o caso de nos sentirmos velhos, acho que, como meu tio, talvez esse Mac não esteja disponibilizando a informação do jeito que consideramos ideal. ;-)
Posta junto dos teus artigos uns screenshots desses aplicativos que você disse que deixaram teu Mac com cara de nave espacial! :-D
Abraço.